Justiça autoriza condução coercitiva de Lula e Okamoto para prestar depoimento

Justiça autoriza condução coercitiva de Lula e Okamoto para prestar depoimento
A operação foi deflagrada na manhã desta sexta-feira com base em investigações sobre a compra e reforma de um sítio em Atibaia frequentado por Lula, além da relação dele com um triplex no Guarujá reformado pela OASNa 24ª fase da Operação Lava-Jatao, a Polícia Federal e a Receita Federal cumprem mandados em endereços do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do seu filho, Fabio Luiz Lula da Silva. A PF está na casa do petista, no Instituto Lula e na casa do filho mais velho dele. A reportagem apurou que há mandado de condução coercitiva contra Lula e contra o presidente do Instituto Lula, Paulo Okamoto.
A operação foi deflagrada na manhã desta sexta-feira, com base em investigações sobre a compra e reforma de um sítio em Atibaia frequentado pelo petista, o fato de sua mudança ter sido transportada para o local e a relação desses episódios com empreiteiras investigadas na Lava-Jato, além da relação dele com um triplex no Guarujá reformado pela OAS.
 
A Operação foi batizada de Aletheia em referência a expressão grega que significa busca da verdade. Cerca de 200 policiais estão nas ruas e 30 auditores da Receita para cumprir 44 ordens judiciais, entre elas 33 mandados de busca e apreensão e 11 de condução coercitiva em São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia.
 
São investigados crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, entre outros praticados por diversas pessoas no contexto do esquema criminoso revelado pela Lava-Jato que envolve pagamento de propina por grandes empreiteiras em troca de obras na Petrobras a partidos políticos.
 
Veja a lista de mandados
 
São Paulo: 18 mandados de busca e 6 conduções;
São Bernardo do Campo: 5 mandados de busca e 2 conduções;
Atibaia: 2 mandados de busca e 1 condução;
Guarujá: 1 mandado de busca;
Diadema: 1 mandado de busca e 1 condução;
Santo André: 1 mandado de busca;
Manduri: 1 mandado de busca;
Rio de Janeiro: 2 mandados de busca
Salvador: 2 mandados de busca e 1 condução.
 
Prisão de marqueteiro
 
A última fase da Lava-Jato, intitulada “Acarajé”, ocorreu em 22 de fevereiro, quando a PF prendeu o marqueteiro das campanhas de Dilma e Lula, João Santana, além da mulher dele, Mônica Moura. O casal é suspeito de receber US$ 7,5 milhões em conta secreta no exterior. A PF suspeita que os recursos tenham origem no esquema de corrupção na Petrobras. O publicitário baiano comandou as campanhas da presidente Dilma Rousseff (PT) e a campanha da reeleição do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), em 2006.
 
FONTE:http://www.em.com.br/